quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Já tem um tempo que não escrevo aqui. Sabe correria? Pois é, continua intensa. Mas o que mais tem me deixado feliz é que mesmo com correria, estresse, trabalho e problemas de seres humanos normais, não penso mais no cigarro como solução de tudo isso. Esse é um  dos motivos da escassez de posts. Mas eu sempre volto, seja para comemorar mais um mês, mais um dia, mais uma hora sem cigarro (e principalmente, comemorar por estar de bem com isso), seja para contar novas histórias.

E aí que hoje é Dia de Combate ao Fumo. Confesso que nem sabia. Afinal, nunca tinha pensado em dar bola para essas coisas até sete meses atrás. Agora importa. E daí que fiquei pensado: será que eu combato o fumo?


Nunca fui incisiva com ninguém. Nunca parei para dar discurso. Nunca tive vontade. Até porque, vamos combinar, é pura chatice. Eu achava chato quando fumava e continuo achando chato sem fumar.

Por outro lado, no momento em que comecei a compartilhar dicas, conselhos e o meu próprio desespero e fraquezas nesse blog, também estou combatendo o fumo. No momento em que digo que é possível, que eu me sinto melhor, que respiro melhor, que minha pele está melhor e que não matei ninguém, estou combatendo o fumo. Porque quando a gente ainda fuma, mas sabe que devia parar, a gente acha que não vai dar para aguentar, a gente acha que vai enlouquecer de ver, a gente cogita virar serial killer, a gente quase não vê sentido no mundo sem o cigarro. No momento em que eu, uma "ex-hard smoker" diz que dá para sentir bem, que com o tempo a gente vê que a nossa vida existe sem cigarro, que com o tempo se sofre menos, que é possível tirar isso da rotina, entender que se a gente precisa mesmo de bengalas existem outras mais saudáveis e menos fedidas, neste momento eu também estou combatendo o fumo.

E me sinto tri bem por isso!